Posts Tagged ‘Stereomood’

Rádio com emoção

23/03/2010

Saiu ontem na coluna de dicas de sites da revista Digital, do Globo, a Stereomood, uma “rádio de internet emocional”. A ideia é bem bacana: você escolhe a estação de rádio de acordo com seu humor ou com alguma situação específica que esteja vivendo. Além de funcionar como rádio mesmo, a Stereomood ainda pode ser usada como sugestão de playlist para um jantar à luz de velas, uma festa na praia, uma viagem de carro e até para transar, todos esses nomes de estações incluídas no site.

A primeira que escolhi, adivinha, foi cinema. A lista começou bem com “Bang bang (my baby shot me down)”, na voz de Nancy Sinatra, trilha sonora de “Kill Bill”. Teve ainda “Lust for life”, com Iggy Pop (Transpoitting) e a fofinha “Married life”, tema instrumental de Michael Giacchinho para “Up!”. O ideal é ouvir na ordem, porque se você resolver pular músicas, elas vão demorar para carregar e isso pode irritar um pouco. O porém é, por vezes, ter que se deparar com o tema de “Bob Esponja” cantado por Avril Lavigne. Mas, com poucas exceções, a escolha de músicas parece boa.

Parti para a estação “Sunny day” e veio uma música bacaninha chamada “Who knows who cares”, de uma banda chamada Local Natives, que não conheço e pareceu interessante. Depois ainda teve “Someday”, do Strokes e “In the sun”, do She & Him (o projeto musical gracinha da Zooey Deschanel, bem legal, aliás).  Gostei ainda de “White sky”, do Vampire Weekend, uma banda da qual todo mundo fala mas cujas músicas eu ainda não ouvi com atenção.

Na estação “Make love”, algumas cafonices… três músicas da Sade (!) e “Wicked game”, do Chris Isaac. Pedi um shuffle e veio “House of cards”, do Radiohed (amo essa música mas “make love”? acho que não). Mais um shuffle e tocou “Gold digger”, do Kanye West. É, acho que essa estação precisa de algumas melhorias. Ficadica, Stereomood: Portishead!

Já que adoro uma música deprê, fui lá na estação “Feel like crying”. A primeira foi “Society”, com Eddie Vedder. Essa foi fácil. Quase qualquer coisa na voz do Eddie Vedder dá vontade de chorar, né.  Depois veio “These days”, da Nico. É tristeza pura: “These days I sit on corner stones and count the time in quarter tones to ten. Please don’t confront me with my failures, I had not forgotten them“.  Melhor sair disso para não cortar os pulsos.

Enfim, ficarei mais alguns dias explorando a rádio. Alguém mais ouviu? Conta aí.

Anúncios