Posts Tagged ‘cartazes’

E segue a obsessão por cartazes…

28/07/2011

Já perceberam que eu adoro cartazes, né? Desta vez, cheguei ao trabalho do Christian Jackson, um designer de Chicago que criou imagens minimalistas para ilustrar histórias infantis. Meus favoritos são os quatro aí embaixo, mas ele também tem belos exemplares feitos para “Chapeuzinho vermelho”, “Rapunzel” e “O patinho feio”.  As imagens não estão em alta resolução, então nem dá para fazer aquele truque de copiar e mandar imprimir na gráfica para colocar na parede. Mas quem estiver muito interessado pode encomendar pelo Imagekind. Os preços variam de cerca de 20 dólares pelo pôster em tamanho pequeno até uns 900 dólares pelo cartaz em tela com acabamento perfeito.

  

Quando já estava pensando em escrever sobre isso, eis que alguém posta no Twitter mais um exemplo de gênio dos posteres. O moço chama-se Neil Kellerhouse, mora em Los Angeles e é o responsável por belíssimos cartazes de filmes recentes (e um pouco mais antigos também), além do material gráfico de divulgação de parte deles, caixas de DVD, etc, etc. Alguns dos meus favoritos estão aí embaixo. São, em sentido horário, “Anticristo”, de Lars von Trier; “I’m still here”, de Casey Affleck (aquele falso documentário sobre o Joaquin Phoenix); “Paris, Texas”, de Wim Wenders; e “The american”, de Anton Corbijn. Tem mais coisa muito boa lá no site dele.

 

O cisne e a bailarina

08/01/2011

Vocês já devem ter reparado que no mundinho cinematográfico só se fala em “Black swan” (ou “Cisne negro”), o novo trabalho de Darren Aronofsky (“Requiém para um sonho”, “Pi”, “O lutador”), protagonizado pela Natalie Portman. É praticamente um filme de terror sobre balé (!), com direito a cena lésbica entre a estrela e a personagem de Mila Kunis (a Jackie de “That’s 70 show”), trama psicológica e participação de Wynona Rider.  Estão falando muito bem por aí e, hype por hype, estou sentindo mais firmeza na qualidade desse do que em “A origem”, quando também só se falava nisso. A conferir no início de fevereiro, quando o filme está previsto para estrear aqui.

Esses dias, o blog de cinema do Guardian publicou um post sobre os cartazes de divulgação do filme, que são incríveis. Foram concebidos por um estúdio inglês e inspirados em posteres tchecos e poloneses das décadas de 60/70, e propagandas de balé do início do século XX. São quatro imagens que serão usadas para promover o longa junto com os cartazes convencionais dos estúdios. O texto traz uma entrevista com um dos artistas do estúdio que criou as imagens, além das palavras de uma historiadora de design, que analisou cada uma tecnicamente. Coisa fina.

No final da matéria,  o blogueiro torce para que “Black swan” seja tão bacana quanto os cartazes, e cita dois exemplos de filmes que não corresponderam à expectativa criada por seus posteres: “Somewhere”, de Sofia Coppola (e eu discordo completamente, acho o filme é incrível!) e “A origem”, de Christopher Nolan (aí sou obrigada a concordar, porque a imagem do prédio descolando é beeem mais legal que todo aquele falatório).

Redes sociais em modelo retrô

05/08/2010

Vi no Urlesque ainda agorinha estes cartazes vintage sensacionais da agência de publicidade brasileira Moma. Eles criaram propagandas retrô de Youtube, Skype e Facebook, estilo anos 50, para um seminário chamado Maximídia. O trabalho é parte de uma campanha chamada “Tudo envelhece rápido”.  Colocaria fácil, fácil na minha parede.

O final de Lost e mais cartazes incríveis

04/05/2010

Não sei se está acontecendo com todas as outras pessoas que, desde 2004, acompanham a saga dos sobreviventes do vôo 815 da Oceanic numa ilha maluca que tem ursos polares, bolsões eletromagnéticos, é a rolha do mal e tudo o mais. Mas tenho que confessar que o final de “Lost” está me dando um aperto no coração. Independentemente de toda a discussão sobre a qualidade da última temporada, as questões não respondidas, etc, etc, vai ser estranho não ficar esperando a semana inteira para baixar um episódio que só te deixa com mais vontade que a outra semana chegue logo. E de correr para a internet para ler todos os comentários assim que acaba. E assim, sucessivamente, durante uns 4 ou 5 meses, até vir aquela mid-season do inferno e te deixar esperando pela próxima temporada. Meses a fio. Depois de seis anos acostumada a essa rotina, vou ter que achar outro objeto de vício.

Mas todo esse preâmbulo sentimental foi apenas para apresentar o trabalho do designer Gideon Slife, que descobri nesta matéria do UOL Cinema. Ele cria cartazes para cada um dos episódios da série, desde a primeira temporada. São de um bom gosto incrível e, além de imagem e nome do episódio, trazem uma frase importante dita naquele capítulo. Ele ainda está no quinto ano da série, mas posta em seu Flickr um novo poster todos os dias. Muito nostálgico ficar navegando pelas imagens de seis, cinco, quatro anos atrás. A verdade é que não lembrava de um milhão de coisas. E outro milhão de coisas, vamos admitir, foram só enrolação mesmo. Mas, além de trazer de volta à memória alguns dos meus episódios favoritos (como “Greatest hits“, quando chorei litros, e “Through the looking glass“, o melhor final de temporada de todos os tempos), os cartazes do Sr. Slife reacenderam o meu projeto de, ao final da série, assistir tudo de novo. Será que eu consigo? Acho que só assim vou me desapegando aos poucos.

Cartazes de cinema… artesanais

07/04/2010

Depois dos desenhos e ideias bacanas do último post, vale dar uma olhada na galeria que o UOL Cinema publicou na semana passada com “Os piores cartazes do mundo”. O texto fala do antigo hábito de pintar os cartazes a serem expostos nas salas de cinema à mão, quando ainda não havia distribuidoras, multiplexes, dinheiro sobrando, essas coisas. O fato é que em Gana, na África, aparentemente a prática ainda existe. Alguns destes trabalhos foram reunidos num livro chamado “Extreme canvas: movie poster paintings from Ghana”, que pode ser comprado na Amazon, por sua conta e risco. Meus favoritos são Van Damme e suas mãos e cabeça do mesmo tamanho, além do 007 Roger Moore com um…peixe.

Eu quero na minha parede

06/04/2010


Já viram que incríveis esses cartazes alternativos para filmes do Tarantino? São de um designer chamado Ibraheem Youssef. No site dele tem outros bem bacanas de “Pulp fiction” e “Kill Bill”, além de criações inspiradas em “A vida aquática de Steve Zissou” e na série “Curb your enthusiasm”. Alguns estão à venda no site, para quem quiser decorar a parede.